Elficidium - Paulo Gonçalves

Elficidium


“- Negros seres das profundezas. Belicosos demónios do Abismo. Hediondos bestas do Inferno. Ouvide o meu chamamento. Outrora orgulhosos e nobres elfos agora jazem no chão. Ensanguentados e mortos. Sem membros e cegos. Protectores da vida e ordem dizimados sem piedade nem honra.


As flechas voam sobre nós em nome de Compaixão. Os punhais entranham-se nas nossas costas em nome do Caminho Correcto. As espadas cortam os nossos corações em nome da Piedade Divina. Maldito sejas tu Helvetto. As minhas lágrimas lavam o sangue das minhas espadas… A chuva jamais irá extinguir o fogo de ódio do meu coração…


Min Byzantin minha mestre, minha deusa. Nem tu eles pouparam… Encontrar-te amarrada, violada, humilhada e despedaçada… Que dor. Que vazio… Que os teus irmãos deuses te poupem na eternidade. Outrora Deusa do Mal redimiste-te perante mim e os Nobres Elfos. Perdoamos-te… Que o corvo te leve a alma para a eternidade via caminho da glória…


Wraith… fiel companheiro. Honrado Humano. Como tu existem outros da tua raça que são nobres. Infelizmente corrompidos por um deus ganancioso e vil seguem o caminho da destruição. Pois quando acabarem com os elfos e os outros seres para onde se virará a Inquisição? Contigo no meu negro coração jaze Alliana. Outra nobre humana que lutou por uma causa nobre perecendo com o veneno de Elmuth.


Vala’Kia… de todos os meus amigos, a tua morte, foi quem mais me doeu. Tu uma elfa de coração negro como todos os Elfos do Submundo, que me odiavas como a morte odeia a vida e sacrificaste-te por mim. Maldita sejas Vala’Kia. Não devias ter feito isso… a minha alma derrama lágrimas de sangue. Quem diria que tu serias capaz de tal acção. Odeio e amo-te. Que encontres a paz na morte que nunca tiveste na vida.


Ao meu lado ensanguentados Misha, Rydia e Steaya lutam. Kry’Tae de todos a minha melhor amiga… Matarem o teu marido e meu mestre de armas foi mais terrível que queimarem-me o peito com uma ferro. Olho para ti agora e nada vejo nos teus olhos. Apenas pura e branca raiva. Ódio. Fúria. Morte. Em breve tudo acabará.


Da outrora raça apenas restamos uma mão cheia de elfos e anões. Lutamos lado a lado. Em breve pereceremos e para sempre o conhecimento e magia ancestral desaparecerão connosco. Para sempre reinará as Trevas e o Medo. Para sempre reinarão os humanos.


Oh grandes forças do Inferno Eu apelo-vos neste mesmo momento agora que os meus irmãos estendem-se no chão. Concedam-me o vosso poder e eu passarei mil anos em dor e sofrimento. Eu sacrifico o meu coração e a minha alma. Se me concedeis força para vingar os meus amigos e povo. O tempo não será juiz nem carrasco do meu fim e queda. As lâminas na minha mão NigraFlamma e GelidaGladium cantam victória. Que tu NigraFlamma te tornes Funebribus. Que cada corte teu envie para o inferno as almas dos meus inimigos. Que tu GelidaGladium te transformes em Tenebrarum. Que cada toque teu envie dor imensurável e os condenes para toda a eternidade no tenebroso vazio.


Pelo Fogo, Pelo Ódio, Pela Espada, Pelas Trevas e todo o Inferno eu invoco todas criaturas que alguma vez negaram a luz e comando-vos a matarem tudo o que vive. Fúria e Agonia, Victória e Morte. Pelas sagradas palavras eu invoco-vos:


R'acan Ahalgana chamiabac ahalmez ahatocob tocapa chiamiaholom ahchami."


O dia transformou-se em noite. O sol que anteriormente ardia no seu poiso agora esconde-se por entre as nuvens. A Lua brilha como nunca outrora brilhara. Nos céus portais vindos de todos os cantos do inferno abrem-se e milhares de demónios, guerreiros e outros seres indescritíveis são cuspidos.


Outrora os Nobres Elfos que sempre lutaram para preservar o bem e a Ordem invocam os seus mais odiosos inimigos. Traição gritam os seus antepassados. Vingança gritam os sobreviventes.


Nyx, outrora um belo elfo com o seu cabelo prateado e os seus cinzentos como o gelo do árctico. Agora um demónio. Nos seus olhos apenas a Morte vivia. As suas espadas que dantes tinham um contorno azul e vermelho respectivamente agora negras como a noite sem estrelas. Um uivo e lançou-se sobre os inimigos.


Medo.


Cada movimento e um humano caía em agonia.


Misha e Rydia juntaram forças e lançaram o mais potente feitiço. Das florestas todos os restantes animais vieram em auxílio. Ratos e esquilos. Pombos e Pardais. Veados e Javalis. Lobos e Ursos. Com a natureza a morrer a sua força vital já diminuta Exaustas tombam sem vida. O trovador Steaya toca a sua flauta incentivando e redobrando o esforço dos já cansados guerreiros.


“Nascido para ser o Defensor da Pátria.
 Nascido para ser chuva dando vida.
 Nascido para ser o leito de um rio.
 Nascido com o sangue de um selvagem lobo.
 Para ser a Chama da Esperança.
 Para ser Ele mesmo entre as almas perdidas…”


O ataque de Nyx e os restantes guerreiros redobra enviando para a perdição centenas de humanos. Terror invade os seus vazios corações.


“Os deuses colocaram as espadas nas nossas mãos,
 O vento vira a chama do destino na nossa direcção,
 A Derrota é maior que a Morte.
 As Lágrimas de crianças doem-nos mais que feridas.
 A Fé une-nos. A Cruz jamais irá substituir as florestas e o livre céu.”


Quando o ódio primordial invade a alma de um ser, esse mesmo ser já está morto. Quando Nyx proferiu aquelas malditas palavras amaldiçoou-se para sempre. Nenhuma paz virá. Quando ele tombar irá para sempre sofrer os caprichos dos deuses do submundo. Cada dia será como uma vida. Cada dor sentida como nada anteriormente sentido. Todos os dias morrerá. Todos os dias voltará a vida para sofrer novamente. Mas mais terrifico que tal destino é a sua imortal alma. Para sempre condenada a permanecer sozinha… “Arima Bakarti Ibiltaria.”


Chacina.


“Duodecim hominum (elfos) horribilium sine deo,
Terror serpit inter perturbatos humanes, qui non habent tempus fugiendi” (1)


Nada nem ninguém consegue deter Nyx e os restantes elfos que ainda permanecem de pé.


“Contra eos dispelans transitu eius omnia res
Adesti cum omnia sua vi demum apparet...
Inundans sanguine inter ululatum belvae terram infra positam.” (2)


Um novo poder emerge… Só com maldade se derrota maldade. Temos de lutar o Mal com Mal. E se o Mal temos que ser para derrotá-los, então seremos. Que as nossas almas ardam no inferno para todo o sempre. Que as nossas existências sejam vazias. Pela Natureza e o Equilíbrio. Pela Vingança.


“Humanes Resistentes Superavit.” (3)


Um novo Terror emerge… Um Avatar. E ele chama-se Nyx, o Destruidor.


“Elficidium!”


Esta história foi escrita 25/12/2008. Uma altura muito negra da minha vida... algumas das frases aqui foram retiradas de musicas que influenciaram a minha vida...


1. “Uma dúzia de abomináveis (Élficas) ímpias criaturas…
(O) Pânico espalha-se pelos perdidos humanos que não teem tempo de escapar”
2. “Erradicando tudo sobre o seu caminho
Ai vem ele revelando-se todo o seu grandioso poder
Encharcando de sangue o chão entre os gritos das bestas.”

3. “Resistência Humana Cai.”

















Post a Comment

Popular Posts